Uma lógica perversa de lugar

Autores

  • Muniz Sodré

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v21i3.22524

Resumo

O duplo vínculo como especificidade do racismo brasileiro. A forma social escravista como um fenômeno enraizado na sociedade nacional, apesar da abolição jurídica e política da escravatura. Inexistência de raça do ponto de vista biológico, mas persistência da relação racial enquanto recurso para a discriminação e a hierarquização das posições de classe social. A ignorância antropológica como matriz de insensibilidade para com os problemas de uma cidadania de segunda classe. A desrespeitosa saudade do escravo. O racismo nacional como lógica de lugar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-26

Como Citar

Sodré, M. (2018). Uma lógica perversa de lugar. Revista Eco-Pós, 21(3), 9–16. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v21i3.22524

Edição

Seção

Dossiê