Vênus em dois atos

Autores

  • Saidiya Hartman Columbia University

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i3.27640

Resumo

Este ensaio examina a ubíqua presença de Vênus no arquivo da escravidão atlântica e luta com a impossibilidade de descobrir qualquer coisa sobre ela que já não tenha sido afirmada. Como figura emblemática da mulher escravizada no mundo atlântico, Vênus evidencia a convergência do terror e do prazer na economia libidinal da escravidão, assim como a intimidade da História com o escândalo e o excesso de literatura. Ao escrever no limite do indizível e do desconhecido, o ensaio mimetiza a violência do arquivo e tenta repará-la ao descrever tão plenamente quanto possível as condições que determinam a aparição de Vênus e que ditam seu silêncio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Saidiya Hartman, Columbia University

Professora de Letras e Literatura Comparada na Columbia University, autora de Scenes of Subjection: Terror, Slavery, and Self-Making in Nineteenth Century America (1997), Lose Your Mother: A Journey Along the Atlantic Slave Route (2007) e Wayward Lives, Beautiful Experiments: Intimate Histories of Social Upheaval (2019), este último vencedor do National Book Critics Circle Award. Ganhadora em 2019 do Prêmio MacArthur.

Downloads

Publicado

2020-12-24

Como Citar

Hartman, S. (2020). Vênus em dois atos. Revista ECO-Pós, 23(3), 12–33. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i3.27640