Para debater beyoncé na cultura pop: Entrevista com Kirsty Fairclough

Autores

  • Thiago Soares

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.5424

Resumo

Quando o aÌlbum “BeyonceÌ” foi lançado, no ano de 2013, que trazia, na canção “Flawless”, trechos do discurso feminista da escritora nigeriana e ativista Chimamanda Ngozi Adichie, a pesquisadora inglesa Kirsty Fairclough nem pensava que, treÌ‚s anos depois, estaria lançando um livro intitulado “BeyonceÌ: Celebrity, Feminism and Pop Culture” (“BeyonceÌ: Celebridade, Feminismo e Cultura Pop”) (I.B Tauris, 2016). Pesquisadora e conferencista em MiÌdia e Performance na School of Arts and Media da University of Salford1 (no Reino Unido), Kirsty sempre lecionou assuntos ligados a Media Studies, Film Studies and Performance Studies. Eis que, diante do “entusiasmo de seus alunos” e interessada em analisar produtos da cultura popular midiaÌtica, começou a focar seus estudos em debates sobre celebridades. Tornou-se membro do corpo editorial do perioÌdico internacional Celebrity Studies (Routledge) e passou a dedicar especial atenção aÌ€ figura de BeyonceÌ, analisando sua trajetoÌria, contradições e afecções poliÌticas, que resultaram em seu livro. Integrante do Communication, Cultural and Media Studies Research Centre, um dos maiores centros de pesquisa em miÌdia, cultura pop e entretenimento do Reino Unido, Kirsty Fairclough concedeu esta entrevista para debater toÌpicos fundamentais nos enlaces sobre poliÌtica, celebridades e cultura pop, no dossieÌ‚ temaÌtico da Revista Eco-PoÌs. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Soares, T. (2016). Para debater beyoncé na cultura pop: Entrevista com Kirsty Fairclough. Revista Eco-Pós, 19(3), 235–239. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.5424

Edição

Seção

Entrevista