Cultura pop digital brasileira: em busca de rastros político-identitários em redes

Autores

  • Adriana Amaral

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.5422

Resumo

O artigo procura delinear de que maneira fãs e subculturas negociam e modulam identidades poliÌti- cas em termos de fandom transcultural (ANNET, 2011, CHIN & MORIMOTO, 2013). A discussão toma como pressuposto a combinação entre as noções aplicadas de performance de gosto e das categorias de Hine (2015) sobre a internet para pensar o conjunto de praÌticas de mobilização dos fãs e afetos. Como resultados iniciais, observamos que atraveÌs de mobilizações (ativismo de fãs por exemplo) e da cultura dos memes podemos localizar rastros para compreensão das materialidades da cultura pop digital brasileira e de suas articulações com a cultura pop transnacional de duas formas -- ambas relacionadas ao humor: 1) a apropriação das franquias midiaÌticas produzidas em paiÌses distintos do brasil em nosso proÌprio contexto poliÌtico-social ; 2) a constituição de uma cultura pop digital na- cional especiÌfica que desvela contradições sobre idade, gerações, geÌ‚neros, classes sociais e raças . 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Amaral, A. (2016). Cultura pop digital brasileira: em busca de rastros político-identitários em redes. Revista Eco-Pós, 19(3), 68–89. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.5422

Edição

Seção

Dossiê