Anatomia de uma teoria da conspiração

O papel de Euclides da Cunha na divulgação de que Canudos seria o epicentro de um movimento de restauração monarquista patrocinado por potências internacionais

Autores

  • Cristiane Costa Escola de Comunicação - UFRJ
  • Maria Luise Brey Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Luana Neves Azevedo Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.29146/ecops.v25i2.27904

Palavras-chave:

Guerra de Canudos, Euclides da Cunha, Jornalismo, Teoria da conspiração

Resumo

É possível reler a Guerra de Canudos como fruto de uma teoria da conspiração? A partir dos indícios revelados por uma série de sete artigos publicados por dois militares no jornal O Paiz em 1897, os irmãos Moraes Rego, este estudo se propõe a reconstituir em detalhes como se levantou a suspeita de que Antonio Conselheiro fazia parte de um grande complô internacional para restaurar a monarquia no Brasil. E, assim, discutir o papel da imprensa e do jornalista e escritor Euclides da Cunha na divulgação de notícias falsas que acabariam colocando a opinião pública do país contra Canudos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, H. Crises da República. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1969.

ALMEIDA, L. As duas repúblicas de um intelectual desiludido – a política como força motriz na vida e obra de Euclides da Cunha. In: Anais... ANPUH – XXV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – Fortaleza, 2009. 8 p. Disponível em: <https://anpuh.org.br/uploads/anais-simposios/pdf/2019-01/1548772006_7955f6e22799ed16572e45a4f0a27dd2.pdf>. Acesso em 16 jun. 2022.

BATESON, G. Steps to an Ecology of Mind. Jason Aronson Inc., Northvale, New Jersey, London, 1972.

BUCCI, E. News não são fake - e fake não são news. In: BARBOSA, Mariana (org.). Pós verdade e fake news, reflexões sobre a guerra de narrativas. Rio de Janeiro: Editora de Livros Cobogó, 2019.

CAMBRIDGE DICTIONARY. Deep state. Cambridge University Press, 2022. Disponível em: <https://dictionary.cambridge.org/pt/dicionario/ingles/deep-state?q=deep-state>. Acesso em 16 jun. 2022.

CASTRO, C. Os militares e a república: um estudo sobre cultura e ação política. Rio de Janeiro, RJ: Zahar, 1995.

CELSO, A. O Assassinato do Coronel Gentil José de Castro: (subsídios para a história do regimento republicano no Brazil). Paris: 1897. Disponível em: <https://digital.bbm.usp.br/handle/bbm/4118 >. Acesso em 16 jun. 2022.

COMISSÃO EUROPEIA. Identificando as teorias da conspiração. Disponível em: <https://ec.europa.eu/info/live-work-travel-eu/coronavirus-response/fighting-disinformation/identifying-conspiracy-theories_pt >. Acesso em 20 julho 2022.

CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Plano Cohen. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2009. Disponível em: <http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/plano-cohen>. Acesso em 16 julho 2022.

COMPACT (Comparative Analysis of Conspiracy Theories Education Group). Guia para teorias da conspiração, 2020. Disponível em <https://conspiracytheories.eu/_wpx/wp-content/uploads/2020/05/COMPACT_Guide-Portuguese_.pdf>. Acesso em 20 de agosto 2022.

CUNHA, Euclides da. Diário de uma expedição. GALVÃO, Walnice Nogueira (Org.). São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

______. Caderneta de campo. ANDRADE, Olímpio de Souza (Org.). Rio de Janeiro: Fundação da Biblioteca Nacional, 2009.

______. Os Sertões (Campanha de Canudos). Edição, Prefácio, Cronologia, Notas e Índices: BERNUCCI, Leopoldo. São Paulo: Ateliê Editorial, SESI-SP editora (coedição), 2018.

______. Correspondência. In: ANDRADE, J. de (Org.). EUCLIDESITE: vida e obra de Euclides da Cunha. São Paulo, 2020. Disponível em: <https://euclidesite.com.br/obras-de-euclides/correspondencia/>. Acesso em: 7 junho 2022.

DIJK, T. van. Ideologia. Porto Alegre: Letras de Hoje, v. 50, dezembro 2015.

DEUTSCH WELLE. “Fatos alternativos” é a “despalavra” de 2017. Publicado em 16 jan. 2018. Disponível em: <https://www.dw.com/pt-br/fatos-alternativos-%C3%A9-a-despalavra-de-2017/a-42167560>. Acesso em: 16 junho 2022.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.

FREUD, S. Freud (1920-1923) - Obras completas volume 15: Psicologia das massas e análise do Eu e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

GALVÃO, W. Gatos de outro saco. Ensaios críticos. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.

______. Euclidiana: ensaios sobre Euclides da Cunha. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

______. No calor da hora: a Guerra de Canudos nos jornais. Recife: Cepe Editora, 2019.

HUGO, Victor. Noventa e três. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1954.

LEWANDOWSKY, S.; COOK, J. O Manual das Teorias da Conspiração 2020. Disponível em: <https://www.climatechangecommunication.org/wp-content/uploads/2020/05/ConspiracyTheoryHandbook_Portuguese.pdf>. Acesso em: 18 junho 2022.

LUSTOSA, I. Insultos Impressos. A guerra dos jornalistas na independência 1821 – 1823. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2000.

MILTON, A. A campanha de Canudos. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2003.

MORAES REGO, Majores. Canudos I. In: O Paiz nº 4718. Rio de Janeiro, 3 de setembro de 1897 (a).

______. Canudos II. In: O Paiz nº 4720. Rio de Janeiro, 5 de setembro de 1897 (b).

______. Canudos III. In: O Paiz nº 4722. Rio de Janeiro, 7 de setembro de 1897 (c).

______. Canudos IV. In: O Paiz nº 4724. Rio de Janeiro, 9 de setembro de 1897 (d).

______. Canudos V. In: O Paiz nº 4727. Rio de Janeiro, 12 de setembro de 1897 (e).

______. Canudos VI. In: O Paiz nº 4729. Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1897 (f).

______. Canudos (Conclusão). In: O Paiz nº 4737. Rio de Janeiro, 22 de setembro de 1897 (g).

MOREIRA, R. A nossa Vendéia: o imaginário social da Revolução Francesa na construção da narrativa de Os sertões. (Tese de Doutorado) Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas, SP: [s.n.], 2007. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/2011/sociologia/dissertacoes/moreira.pdf>. Acesso em: 7 junho 2022.

SCHULZ, K. The rabbit-hole rabbit hole. In: The New Yorker. Publicado em: 4 jun. 2015. Disponível em: < https://www.newyorker.com/culture/cultural-comment/the-rabbit-hole-rabbit-hole>. Acesso em: 16 junho 2022.

UNITED STATES HOLOCAUST MEMORIAL MUSEUM. Os protocolos dos sábios de Sião. In: Enciclopédia do Holocausto. Washington, D.C., 2018. Disponível em: <https://encyclopedia.ushmm.org/content/pt-br/article/protocols-of-the-elders-of-zion>. Acesso em: 16 junho 2022.

USCINSKI, J. The Study of Conspiracy Theories. University of Sassari: Argumenta 3, 2, pp. 233-245. Disponível em: <https://www.academia.edu/34790823/The_Study_of_Conspiracy_Theories>. Acesso em: 18 julho 2022.

Downloads

Publicado

2022-10-31

Como Citar

Costa, C., Brey, M. L., & Neves Azevedo, L. (2022). Anatomia de uma teoria da conspiração: O papel de Euclides da Cunha na divulgação de que Canudos seria o epicentro de um movimento de restauração monarquista patrocinado por potências internacionais. Revista Eco-Pós, 25(2), 213–237. https://doi.org/10.29146/ecops.v25i2.27904