Mulher, Negra e Repórter: atravessamentos entre gênero, raça, subjetividade e telejornalismo na trajetória de Glória Maria.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i3.27620

Resumo

A proposta deste artigo é discutir a relação entre feminismo e democracia a partir da observação de como transformações nas práticas convencionais do jornalismo deixam ver um cenário mais amplo de mudanças estruturais em nossas organizações sociais e políticas. A partir da observação da trajetória de Glória Maria como repórter, buscamos acessar atravessamentos entre subjetividade, jornalismo, raça e gênero. Argumentamos que a noção de objetividade jornalística opera como modo de regulação de expressões subjetivas a partir de uma articulação de sentido entre corpos convencionados como sóbrios, discretos e os valores de credibilidade e autoridade a eles confiados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valéria Maria Vilas Bôas, Universidade Federal de Sergipe

Professora do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Sergipe. Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA. É pesquisadora associada do Centro de Pesquisa Estudos Culturais e Transformações na Comunicação/TRACC-UFBA.

Referências

ABRAM, Laís. Desigualdades de gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro. Ciência e cultura, v. 58, n. 4, p. 40-41, 2006.

BRUSCHINI, Maria Cristina Aranha. Trabalho e gênero no Brasil nos últimos dez anos. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 37, n. 132, p. 537-572, Dez. 2007. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742007000300003&lng=en&nrm=iso. Acesso em 29 Ago. 2020. https://doi.org/10.1590/S0100-15742007000300003.

BRUSCHINI, Cristina; LOMBARDI, Maria Rosa. Instruídas e trabalhadeiras Trabalho feminino no final do século XX. Cadernos pagu, n. 17-18, p. 157-196, 2002.

BUTLER, Judith. Bodies that Matter: on the discursive limits of sex. London and New York: Routledge, 1993b.

______. Undoing Gender. London and New York: Routledge, 2004.

CARNEIRO, Sueli. Mulheres em movimento: contribuições do feminismo negro. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Pensamento feminista brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar dos Tempos, 2019.

CERQUEIRA, Daniel, et al. Atlas da Violência 2017. Rio de Janeiro: Ipea/ FBSP, 2017.

CHONG, Phillipa. Valuing subjectivity in journalism: Bias, emotions, and self-interest as

tools in arts reporting. Journalism, v. 20, n. 3, p. 427-443, 2019. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/1464884917722453#articleCitationDownloadContainer. Acesso em 29 Ago. 2020.

FOUCAULT, Michel. Les rapports de pouvoir passent à l’interieur des corps. In: FOUCAULT, Michel. Dits et écrits, v. 3, p. 1976-1979, 1979a.

______. Poder-Corpo. In: Foucault, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979b.

HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

LEAL, Bruno Souza. O jornalismo à luz das narrativas: perspectivas e questões. LEAL, B; CARVALHO, C. (org.) Narrativas e poéticas midiáticas. São Paulo: Intermeios, 2013.

LORDE, Audre. Idade, raça, classe e gênero: mulheres redefinindo a diferença. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Pensamento feminista: conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Bazar dos Tempos, 2019.

NASCIMENTO, Beatriz. A mulher negra no mercado de trabalho. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Pensamento feminista brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar dos Tempos, 2019.

SACRAMENTO, Igor. Por um jornalismo televisivo de alto nível: as definições de qualidade na crítica especializada em duas décadas (1970/1980). VI Encontro Nacional de História da Mídia. Niterói, 2008.

SILVA, Cidinha da. De onde viemos: aproximações de uma memória. In: DE HOLLANDA, Heloisa Buarque. Explosão feminista: arte, cultura, política e universidade. Editora Companhia das Letras, 2018.

SANCHES, Solange. Trabalho doméstico: desafios para o trabalho decente. Revista Estudos Feministas, v. 17, n. 3, p. 879-888, 2009.

MEHL, Dominique. La télévision de l'intimité. In: French Cultural Studies, v. 18, n. 2, p. 153-167, 2007.

SANCHES, Neuza. A Brava Dama da Notícia. Veja, 20 de abril de 1994.

TÁVOLA, Arthur da. Maior presença de jornalistas no vídeo. O Globo, 03 de maio de 1979.

Downloads

Publicado

2020-12-24

Como Citar

Vilas Bôas, V. M. (2020). Mulher, Negra e Repórter: atravessamentos entre gênero, raça, subjetividade e telejornalismo na trajetória de Glória Maria. Revista Eco-Pós, 23(3), 165–184. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i3.27620