Influenciadoras digitais de moda e beleza

do look do dia ao consumo de ativismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29146/ecopos.v24i3.27617

Palavras-chave:

Consumo de ativismo, Feminismo, Blogueiras, Influenciadoras digitais

Resumo

Este trabalho parte da perspectiva do consumo de ativismo (Domingues, Miranda, 2018) para compreender como a pauta feminista é apropriada na produção de conteúdo das blogueiras e/ou influenciadoras digitais de moda. A partir de uma amostra de 52 blogueiras consideradas precursoras da blogosfera de moda brasileira, Carla Lemos (Modices) foi escolhida como estudo de caso por apontar desdobramentos para a prática que não se limitam ao estereótipo do look do dia e do consumo aspiracional. Para compreender a apropriação do discurso feminista no Instagram, o artigo apoia-se no referencial da Análise do Discurso de linha francesa com ênfase nas noções de ethos (Maingueneau, 2010) e contrato de comunicação (Charaudeau, 2012).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABIDIN, C. Communicative Intimacies: Influencers and Perceived Interconnectedness. Journal of Gender, New Media, & Technology, College Park, v. 8, nov. 2015. Disponível em: <http://adanewmedia.org/2015/11/issue8-abidin/>. Acesso em: 12 out. 2017.

AMOSSY, R. Da noção retórica de ethos à análise do discurso. In: AMOSSY, R. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2014. p. 9-28.

ANDRADE, R. Influência positiva: conheça perfis que merecem sua atenção no Instagram. Jornal Metrópoles, 2020. Disponível em: < https://www.metropoles.com/vida-e-estilo/comportamento/influencia-positiva-conheca-perfis-que-merecem-sua-atencao-no-instagram> Acesso em 02/08/2020.

BOURDIEU, P. The forms of capital. In: HALSEY, A.H. et al. Education, Culture, Economy, and Society. New York: Oxford University Press, 1997.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. 2.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das Mídias. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

CLARK-PARSONS, R. “I See You, I Believe You, I Stand With You”: #MeToo and the performance of networked feminist visibility, Feminist Media Studies, 2019. DOI: 10.1080/14680777.2019.1628797

CORRÊA, E. N. S. Precisamos refletir sobre influência na sociedade digitalizada. Communicare, São Paulo, v.17, edição comemorativa, p.26, 2017.

DIAS, L. As blogueiras que não saírem de suas "bolhas" estão com os dias contados. UOL, 2020. Disponível em: <https://tvefamosos.uol.com.br/colunas/leo-dias/2020/04/27/as-blogueiras-que-nao-sairem-de-suas-bolhas-estao-com-os-dias-contados.htm> Acesso em: 02/08/2020.

DECLERCQ, M. A pandemia vai destruir a cultura de celebridades e influenciadores? UOL, 2020. Disponível em: <https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2020/04/29/a-pandemia-esta-destruindo-a-cultura-de-celebridades-e-influenciadores.htm> Acesso em: 02/08/2020.

DOMINGUES, I. MIRANDA, A. P.. Consumo de ativismo. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2018.

FINDLAY, R. The short, passionate, and close-knit history of personal style blogs. Fashion Theory, v. 19, n. 2, 157-178, 2015.

KARHAWI, I. De blogueira à influenciadora: motivações, ethos e etapas profissionais na blogosfera de moda brasileira. 2018. 330 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação, Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

KARHAWI, I. Influenciadores digitais: conceitos e práticas em discussão. Communicare, São Paulo, v.17, edição comemorativa, p.46-61, 2017.

KARHAWI, I. Influenciadores digitais: o Eu como mercadoria. In. SAAD-CORRÊA, E. N.. SILVEIRA, S. C. Tendências em Comunicação Digital. São Paulo: ECA-USP, 2016.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Editora Barcarolla, 2004. p. 50-103.

LIPOVETSKY, Gilles. Modernismo e pós-modernismo. In: LIPOVETSKY, Gilles. A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. Barueri, SP: Manole, 2005. p. 59-110.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

MAINGUENEAU, D. Doze conceitos em análise do discurso. São Paulo: Parábola, 2010.

MARTÍN-BARBERO, J. Uma aventura epistemológica. MATRIZes, São Paulo, v. 2, n. 2, 2009.

McROBBIE, Angela. Pós-feminismo e cultura popular. In. Comunicação&Cultura, Lisboa, Portugal, nº 9, 2010. p.27-41.

MIGUEL, L. F.; BIROLI, F. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014.

MILANEZI, Maicon José de Faria; DARCIE, Marina Paula. “Blogueirinha rica não entende de Brasil”: cobrança pelo posicionamento político e manifestações de influenciadores na internet. Extraprensa, v. 12, n. esp., pp. 274 - 289, 2019.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. 10. ed. Campinas: Pontes, 2012.

PALOMARES, D. Influenciadores na pandemia: 'Excesso de viagens e luxo não funcionam mais'. UOL, 2020. Disponível em: <https://entretenimento.uol.com.br/noticias/redacao/2020/05/13/autoconhecimento-e-cuidado-como-os-influenciadores-lidam-com-a-pandemia.htm> Acesso em 02/08/2020.

PEDRONI, M. “Stumbling on the heels of my blog”: Career, forms of capital, and strategies in the (Sub)Field of Fashion Blogging. Fashion Theory, v. 19, n. 2, 179-199, 2015.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2014.

ROCAMORA, Agnès. Mediatization and Digital Media in the Field of Fashion. Fashion Theory, v. 21, n.5, 505-522, 2016.

SHIRKY, C. A Cultura da Participação: criatividade e generosidade no mundo conectado. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

WOLF, N. O mito da beleza – Como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 2018.

Downloads

Publicado

2021-12-20

Como Citar

Karhawi, I. (2021). Influenciadoras digitais de moda e beleza: do look do dia ao consumo de ativismo. Revista Eco-Pós, 24(3), 423–453. https://doi.org/10.29146/ecopos.v24i3.27617