Mulheres musicistas e suas narrativas sobre o trabalho: um retrato do trabalho no Rio de Janeiro na virada do século XX ao XXI

Luciana Requião

Resumo


O presente artigo busca discutir questões prementes ao mundo do trabalho no campo da música a partir das narrativas de dezenove mulheres musicistas. São mulheres que vivenciaram uma intensa transformação no mundo do trabalho na transição do século XX ao XXI, transformação esta que, não obstante seu impacto em qualquer trabalhador ou trabalhadora, apresenta particularidades relativas ao gênero. A ideia principal é identificar a forma como tais transformações afetaram a vida laboral, tendo o Rio de Janeiro como o locus central de atuação dessas trabalhadoras. Não pretendemos generalizar, mas buscar, por meio de recorrências nas falas dessas mulheres, subsídios para a compreensão de suas trajetórias, o que nos leva a perceber marcas da desigualdade de gênero.


Texto completo:

PDF

Referências


Referências

BENHAMOU, Françoise. A economia da cultura. São Paulo: Ateliê Editorial, 2007.

BONINO, Sheila. Género y música em Uruguay. In: BONINO, Sheila et al. Apuntes 1.0 – Music@s y Colectivos. Uruguay: Fundación Fans de la Música, p.17-21, 2018.

BRASIL. Lei n.3.857, de 22 de dezembro de 1960. Cria a Ordem dos Músicos do Brasil e Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Profissão de Músico e dá outras Providências. Disponível em: encurtador.com.br/stGW3. Acesso em: 11 mai. 2019.

BRASIL. Portaria nº 3.406, de 25 de outubro de 1978. Aprova modelos de nota contratual para substituição de Artistas e Técnicos em Espetáculos, de Diversões e para prestação de serviço caracteristicamente eventual por parte desses profissionais. Disponível em: encurtador.com.br/mALOX. Acesso em: 10 jan. 2020.

ESTEVES, Eulícia. Acordes e Acordos: a história do Sindicato dos Músicos do Rio de Janeiro 1907-1941. Rio de Janeiro: Multiletra, 1996.

MAESTRI, Mário. Revolução e contra-revolução no Brasil [1530-2018]. Porto Alegre: FCM, Coleção Coyocam, 2019

REQUIÃO, Luciana. Trabalho, música e gênero: depoimentos de mulheres musicistas acerca de sua vida laboral. Um retrato do trabalho no Rio de Janeiro dos anos 1980 ao início do século XXI. Rio de Janeiro: Ed. do Autor, 2019.

REQUIÃO, Luciana. A morte (ou quase morte) do músico como um trabalhador autônomo. In: Colóquio Internacional Marx e o Marxismo 2017: De O capital à Revolução de Outubro (1867 – 1917), 2017, Niterói. Anais... Disponível em: encurtador.com.br/bhkr4. Acesso em: 11 mai. 2019.

REQUIÃO, Luciana. “Festa acabada, músicos a pé!”: um estudo crítico sobre as relações de trabalho de músicos atuantes no estado do Rio de Janeiro. In: Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 64, 249-274, ago. 2016.

REQUIÃO, Luciana. “Eis aí a Lapa...”: processos e relações de trabalho do músico nas casas de shows da Lapa. São Paulo: Annablume, 2010.

ROSA, Laila; NOGUEIRA, Isabel. O que nos move, o que nos dobra, o que nos instiga: notas sobre epistemologias feministas, processos criativos, educação e possibilidades transgressoras em música. In: Revista Vórtex, Curitiba, v.3, n.2, p.25-56, 2015.

SEGNINI, Liliana. Os músicos e seu trabalho: Diferenças de gênero e raça. In: Tempo Social, v. 26, n. 1, p. 75-86, 1 jun. 2014.

VELON, Marcela. Dama de Espadas: trajetória de um blues carioca. In: Revista Giz. São Paulo, v. 4, n.1, 237-263, Out. 2019.

VICENTE, Eduardo. Música e disco no Brasil: a trajetória da indústria nas décadas de 80 e 90. São Paulo: USP, 2002. (Tese de doutorado).

ZERBINATTI, Camila Durães, NOGUEIRA, Isabel Porto e PEDRO, Joana Maria. A emergência do campo de música e gênero no Brasil: reflexões iniciais. In: Descentrada, 2 (1), e034, marzo 2018. Encontrada em: http://www.descentrada.fahce.unlp.edu.ar/article/view/DESe034. Acesso em: 06 jan. 2020.




DOI: https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i1.27436

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.