Bro MC's Rap Indígena: O pop e a consituição de fóruns cosmopolíticos na luta pela terra Guarani e Kaiowa

Autores

  • Luciana de Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.3790

Resumo

O artigo analisa alguns recursos poéticos e políticos do grupo de rap Bro MC, formado por jovens indígenas Kaiowa da Reserva de Dourados (Mato Grosso do Sul-Brasil) e busca reconhecer elementos que servem ao diálogo interétnico na chave da “cultura” com o regime de visibilidade característico do mundo dos brancos, enfatizando que a cultura pop é parte importante desse regime. Antes, porém, desenha um quadro mais amplo de localização das pessoas Kaiowa e Guarani na história e na vida ordinária das aldeias de Jaguapiru e Bororó (de onde provém o grupo), bem como um pequeno histórico dos Bro. O objetivo é mostrar como as ações, letras e posicionamentos do grupo e de seus integrantes configuram o que chamamos de fórum cosmopolítico pois apoiam-se numa espécie de contemporaneidade pela palavra: a palavra-rap e a alma-palavra (ñe'e) da cosmologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora Adjunta do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social.

Downloads

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Oliveira, L. de. (2016). Bro MC’s Rap Indígena: O pop e a consituição de fóruns cosmopolíticos na luta pela terra Guarani e Kaiowa. Revista Eco-Pós, 19(3), 199–220. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.3790

Edição

Seção

Dossiê