Resenha sobre a exposição de Fernando Lindote: trair Macunaíma e avacalhar o Papagaio

Autores

  • Fabio Mourilhe Doutor em filosofia, UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.3741

Resumo

A exposição de Fernando Lindote Trair Macunaíma e avacalhar o Papagaio com curadoria de Paulo Herkenhoff e cocuradoria de Clarissa Diniz e Leno Veras foi realizada no Museu de Arte do Rio entre 01/12/2015 e 03/04/2016. Aqui, foi possível notar as distorções, deformações e transformações que compõem o processo constante de Lindote. Percebe-se a influência de Renato Canini, tanto no uso de seu personagem como na predisposição para o uso de materiais variados e na sobreposição de materiais sobre o desenho. A representação do personagem Zé Carioca no contexto das obras de Lindote pode ser pensada em sua inclusão pela semelhança, como na célula com o personagem incluso, onde é subvertido o valor do dinheiro. Questiona o capitalismo e a arte de massa, da qual os quadrinhos fazem parte. A distorção e a fragmentação da figura do Zé Carioca incluída em alguns quadrinhos de Lindote, de forma semelhante, deturpam a arte de massa dos quadrinhos, porém, neste caso, com um questionamento a sua linguagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Mourilhe, F. (2016). Resenha sobre a exposição de Fernando Lindote: trair Macunaíma e avacalhar o Papagaio. Revista Eco-Pós, 19(3), 359–362. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.3741

Edição

Seção

Resenhas