A audiovisualização de Beyoncé - um olhar sobre os dispositivos de passagem e as zonas de contato entre as imagens

Autores

  • Lorena de Risse Ferreira Universidade do Vale do Rio dos SInos
  • Gustavo Daudt Fischer Universidade do Vale do Rio dos Sinos

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.3738

Resumo

Este artigo tem como foco problematizar o processo de audiovisualização da performance por meio da observação atenta de três momentos da trajetória artística da cantora pop Beyoncé Knowles. Pensamos em como a expressão artística musical passa a ser percebidapor meio de códigos audiovisuais, de uma tal forma que passa-se a investir e incorporar lógicas e devires imagéticos a espaços nos quais o uso do som e da performance de palco se apresentavam como características exclusivas. A partir das contribuições de Kilpp (2009), Dubois (2004), Peixoto (1993) e outros autores, buscamos compreender queaudiovisualidade é essa que se constrói nos shows e que promove uma experiência audiovisual que transcende as mídias. Por meio do Scanning proposto por Vilém Flusser, procedimento metodológico utilizado, buscamos os dispositivos de passagem, ou seja, os elementos responsáveis por promover uma espécie de contágio entre as imagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena de Risse Ferreira, Universidade do Vale do Rio dos SInos

Doutoranda no PPG em Ciências da Comunicação, bolsista Capes e integrante do grupo de pesquisa Audiovisualidades e Tecnocultura: comunicação, memória e design (TCAV).

Gustavo Daudt Fischer, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutor em Ciências da Comunicação, um dos líderes do grupo de pesquisa Audiovisualidades e Tecnocultura: comunicação, memória e design (TCAV) e atual Coordenador do Programa de Pós-Graduação dem Ciências da Comunicação da UNISINOS.

Downloads

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Ferreira, L. de R., & Fischer, G. D. (2016). A audiovisualização de Beyoncé - um olhar sobre os dispositivos de passagem e as zonas de contato entre as imagens. Revista Eco-Pós, 19(3), 124–138. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v19i3.3738

Edição

Seção

Dossiê