Processos Criativos de Som e Montagem no Cinema Artesanal Brasileiro:

Precariedade e Experimentalismo

Autores

  • Kira Santos Pereira Universidade Federal da Integração Latino-Americana – Unila

DOI:

https://doi.org/10.29146/ecops.v25i1.27861

Palavras-chave:

cinema artesanal, som, montagem cinematográfica, modos de produção, processo criativo

Resumo

Abordamos aqui relações criativas e metodologias de montagem e som no cinema Artesanal brasileiro, que verificamos favorecer sua expressividade sonora. Nos detemos na análise de Eles Voltam (Marcelo Lordello, 2014) e Estrada Para Ythaca (irmãos Pretti e primos Parente, 2010), partindo de materiais do processo criativo, declarações dos realizadores e estudos que aludem a cinematografias similares. Percebemos certas precariedades materiais típicas deste modo de produção que não raro são também opções políticas e estéticas declaradas pelos cineastas. Foi observada também uma tendência ao questionamento das rígidas hierarquias presentes na forma tradicional de fazer cinema, bem como um maior protagonismo do som ao longo do processo. Fez-se notar, ademais, uma grande liberdade criativa e envolvimento da equipe, possibilitando experimentações e resultados expressivos de montagem e som.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kira Santos Pereira, Universidade Federal da Integração Latino-Americana – Unila

Docente de Som para Cinema e Audiovisual na Unila - Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Doutora em Multimeios pela Unicamp, com pesquisa sobre a criação sonora na etapa da montagem fílmica, focando no cinema brasileiro. Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA-USP, com dissertação sobre o processo criativo do som no cinema brasileiro contemporâneo. Bacharel em Cinema e Vídeo pela USP. Atua no audiovisual desde 2000, como editora de som e técnica de som direto.

Referências

AMIEL, Vincent. Estética da montagem. Lisboa: Texto e Grafia, 2010

AUTRAN, Arthur. O pensamento industrial cinematográfico brasileiro. Tese (doutorado). Campinas: Unicamp, 2004.

AUTRAN, Arthur. O pensamento industrial cinematográfico brasileiro: Ontem e Hoje. Anais do XXXII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da Intercom. 2009.

BARTHES, Roland. Roland Barthes by Roland Barthes. Berkeley and Los Angeles: University

Of California, 1994.

BAZIN, Andre. O Cinema: Ensaios. São Paulo: Brasiliense, 1991.

BELTRÃO, Felipe B.; CARREIRO, Rodrigo. Ruídos na canção: o caso de Dançando no Escuro. Revista Contemporânea, v. 12, n. 2, Salvador (PPGCom UFBA), 2014.

CARREIRO, Rodrigo. Este não é um filme de ficção: Notas sobre o som em falsos documentários de horror. Revista Logos, Rio de Janeiro, v. 20, n. 01, 2013.

CASANELLES, Sergi. Mixing as a Hyperorchestration Tool. In: GREENE, Liz Greene; KULEZIC-WILSON, Danijela Kulezic-Wilson. The Palgrave Handbook of Sound Design and Music in Screen Media. London: Palgrave Macmillan, 2016.

CHION, Michel. A Audiovisão: Som e Imagem no Cinema. Lisboa: Texto e Grafia, 2011.

COSTA, Fernando M. Silêncios, Sons dos Rios, Sons das Cidades: Los Muertos e Liverpool. Revista Contemporânea, v. 10, n. 2, Salvador (PPGCom UFBA), 2012.

DOANE, Mary Ann. Ideology and the Practice of Sound Editing and Mixing. In WEIS, E., BELTON, J. Film Sound, Theory and Practice. New York: Columbia University Press, 1985.

EISENSTEIN, S. M.; PUDOVKIN, V.I.; ALEXANDROV, G. V. Declaração sobre o futuro do cinema sonoro. In EISENSTEIN, S. M. A Forma do Filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2002.

EISENSTEIN, S. M. A Forma do Filme. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editora, 2002.

FLÔRES, Virginia Osório. O Cinema: uma Arte Sonora. São Paulo: Annablume, 2013

GARRET, Adriano. Falta coragem para festivais se abrirem a filmes autorais, diz vencedor de Tiradentes. 2014. Disponível em

http://cinefestivais.com.br/entrevista-com-affonso-uchoa-diretor-de-a-vizinhanca-do-tigre/

Acesso em 12 fev. 2022.

GIANI, Gustavo (mediador) Mesa 7: Edição/Montagem. Mesa de debates da Semana ABC (2017). Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=kFlqg_m9ACs. Acesso em 01 mar. 2022.

HISSA, Celina; DE PAULA, Silas. A (co)existência Alumbrada. In LIMA, Erico Araújo (org). Mostra Alumbramento (catálogo de mostra). Caixa Cultural, 2016.

IKEDA, Marcelo. Fissuras e Fronteiras: O coletivo Alumbramento e o cinema contemporâneo Brasileiro. Porto Alegre: Editora Meridional, 2019.

IKEDA, Marcelo; LIMA, Delani. Cinema de garagem, um inventário afetivo sobre o jovem cinema brasileiro do século XXI. Caixa Cultural, 2011.

JOHNSTON, Nessa. Teorizando o som “ruim”: o que põe o mumble no mumblecore? Revista Rebeca, v. 5, n. 1, São Paulo (SOCINE), 2016.

KASSABIAN, Ahahid. The Sound of a New Film Form. In: INGLIS, Y. Popular Music and Film. London: Wallflower Press, 2003.

LIMA, Erico Araújo. “Conversa – Guto Parente e Pedro Diógenes”. In LIMA, E. A. (org). Mostra Alumbramento (catálogo de mostra). Caixa Cultural, 2016.

MIGLIORIN, Cézar. Por um cinema pós‐industrial - Notas para um debate. 2011 Disponível em

http://www.revistacinetica.com.br/cinemaposindustrial.htm . Acesso em 18 de mar. de 2022.

MIRANDA, Suzana Reck; PEREIRA, Kira S. Tão longe é aqui e a música dos ruídos: aproximações teóricas sobre aspectos do som no cinema contemporâneo. Revista Rebeca, v. 5, n. 1, São Paulo (SOCINE), 2016.

NOGUEIRA, Amanda M. C. A brodagem no cinema em Pernambuco. Recife: Universidade Federal de Pernambuco. Programa De Pós-Graduação em Comunicação. 2014.

OPOLSKI, Débora. Edição de Diálogos no Cinema. Curitiba: Ed. UFPR, 2021.

OPOLSKI, Débora Introdução ao desenho de som: uma sistematização aplicada na análise do longa-metragem Ensaio sobre a cegueira. João Pessoa: editora da UFPB, 2013

PARO, Iana Cossoy. Escrever o som: busca pelo espaço do sonoro em roteiros audiovisuais. 2016. Dissertação (Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

PRESIDÊNCIA da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. LEI Nº 12.485, DE 12 DE SETEMBRO DE 2011. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Lei/L12485.htm Pesquisado em 14 de maio de 2020.

PRETTI, Ricardo. Cinema atual (o brasileiro sem dúvida, mas não só). In:LIMA, Erico Araújo (org). Mostra Alumbramento (catálogo de mostra). Caixa Cultural, 2016.

PUDOVKIN, V.I. Asyncronism as a Principle of Sound. In WEISS, Elizabeth; BELTON, John (org). FilmSound: Theory and Practice. New York: Columbia University Press, 1985.

ROCHA, Glauber. Revolução do Cinema Novo. Rio de Janeiro: Alhambra/Embrafilme, 1981.

ROGERS, Holly. Sonic Elongation and Sonic Aporia: Two Modes of Disrupted Listening in Film. In: CENCIARELLI, Carlo (ed). The Oxford Handbook of Cinematic Listening. Oxford: Oxford University Press, 2021.

SALES GOMES, Paulo Emilio. Cinema: Trajetória no Subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

SHINER, Larry. La invención del arte. Una historia cultural. Barcelona-Buenos Aires-México, Paidós, 2010.

SONNENSCHEIN, David. Sound Design: The Expressive Power of Music, Voice, and Sound Effects in Cinema. Studio City: Michael Wiese Productions, 2001.

TELA Viva. SAv divulga vencedores de edital de desenvolvimento de roteiros. Disponível em https://telaviva.com.br/16/09/2009/sav-divulga-vencedores-de-edital-de-desenvolvimento-de-roteiros/ . Acesso em 21 mar. de 2022.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e

Terra, 2005.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Como Citar

Santos Pereira, K. (2022). Processos Criativos de Som e Montagem no Cinema Artesanal Brasileiro:: Precariedade e Experimentalismo. Revista Eco-Pós, 25(1), 81–111. https://doi.org/10.29146/ecops.v25i1.27861