Ecos pós-coloniais em dois filmes africanos:

as canções de Soleil Ô e Touki Bouki

Autores

  • Guilherme Maia Universidade Federal da Bahia
  • Morgana Gama de Lima Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.29146/ecops.v25i1.27844

Palavras-chave:

Artes, Cinema, Música popular, Cinemas africanos, ; Pós-colonial

Resumo

À luz de estudos recentes sobre o modo como canções populares operam no cinema de ficção, este artigo examina o papel das canções nos filmes Soleil Ô (1969), de Med Hondo e Touki Bouki (1973), de Djibril Diop Mambéty, levando em conta o complexo cenário de produção envolvido nos filmes realizados por cineastas de África e suas diásporas, especialmente nos primeiros anos após a descolonização. Partindo do pressuposto de que canções populares pré-existentes tendem a afetar o público pela via do acionamento de memórias, afetos e processos de identificação, a investigação observa o modo como as canções dominantes nesses dois filmes se articulam com a narrativa como discurso crítico e como marcas do racismo e da xenofobia em um contexto pós-colonial. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Maia, Universidade Federal da Bahia

Mestre em musicologia e doutor em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor da Faculdade de Comunicação e do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da UFBA. Como compositor, tem canções gravadas por Ney Matogrosso, Alcione e Elba Ramalho, entre outros. Entre suas publicações estão os livros Elementos para uma poética da música dos filmes (Appris, 2015) e as coletâneas Ouvir o documentário: vozes, música e ruídos (Edufba, 2015), e O cinema musical na América Latina: aproximações contemporâneas (Edufba, 2018).

Morgana Gama de Lima, Universidade Federal da Bahia

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (Póscom/UFBA) com estágio doutoral na Universidade da Beira Interior/Portugal. Realizou mestrado no Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (IHAC/UFBA, 2014) e graduação nos cursos de Comunicação Social/Relações Públicas (Universidade do Estado da Bahia, 2008) e Produção Cultural (Facom/UFBA, 2009). É membro do grupo de pesquisa Laboratório de Análise Fílmica (LAF/UFBA), onde pesquisa a relação entre narrativas cinematográficas e cultura oral em cinemas de África e suas diásporas.

Referências

ALVIM, Luíza. A música clássica preexistente no cinema de diretores da Nouvelle Vague – anos 50 e 60. Tese. Programa de Pós-graduação em Música do Centro de Letras e Artes da UNIRIO, 2017.

BORDWELL, David. La narración en el cine de ficción. Barcelona: Paidós, 1996.

DIAS, Mayra Alvarez. El Noticiero ICAIC y sus voces. La Habana: Ediciones La Memoria, 2012.

DÖRING, Katharina. Mbalax – Música Popular no Senegal: uma tradição moderna entre herança colonial e World Music, Sankofa – Revista de História da África e de Estudos da Diáspora Africana, ano IX, nº XVII, agosto/2016. p. 118-136.

FISHER, Alex. Reclaiming Josephine Baker in the filmic ethnomusicology of Djibril Diop Mambéty, Music and the Moving Image, 12(2), 3-19, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5406/musimoviimag.12.2.0003

FRAILE PRIETO, Teresa. Nostalgia, revival y músicas populares en el último cine español. Quaderns de Cine, n. 9, 2014, p. 107-114. Disponível em: https://revistes.ua.es/quacine/article/view/2014-n9-nostalgia-revival-y-musicas-populares-en-el-ultimo-cine-espanol. Acesso em: 05 mar. 2022.

GORBMAN, Claudia. Unheard Melodies: Narrative Film Music. Londres: BFI, 1987.

GUTBERLET, Marie-Hélène; KUSTER, Brigitta. Le cinéma de Med Hondo. Textes originaux allemands et français, 1970–2020. Berlim: Archive Books, 2021. p. 31-32.

HONDO, Med. Entretien avec Med Hondo. [Entrevista cedida a] Guy Hennebelle, Sabzian, 21 nov. 2018 (publicada originalmente em Cinéma 147, Juin 1970). Disponível em: https://www.sabzian.be/article/entretien-avec-med-hondo. Acessoem: 19 set. 2021.

HUBBERT, Julie. The compilation soundtrack, from the 60’s to the present. In: NEUMEYER, David. The Oxford Handbook of Film Music Studies. Nova Iorque: Oxford University Press, 2014.

KALINAK, Kathryn. Disciplining Josephine Baker: gender, race, and the limits of disciplinarity. In.: BUHLER, James; FLINN, Caryel; NEUMEYER, David (eds.). Music and cinema. Hanover: University Press of New England, 2000. p. 317-8.

KASSABIAN, Anahid. Hearing film: tracking identifications in contemporary Hollywood film music. Nova Iorque e Londres: Routledge, 2001.

KAYE, Andrew Lawrence; ASEVEDO, Everaldo; GAMA, Morgana. A música do filme e a experiência musical africana: alguns comentários sobre um trabalho em andamento, MusiMid: Revista Brasileira de Estudos em Música e Mídia, v. 1, n. 3, p. 165-186, 2021. Disponível em: http://musimid.mus.br/revistamusimid/index.php/musimid/article/view/67. Acesso em: 04 mar. 2022.

LACK, Russell. La música en el cine. Madrid: Cátedra, 1999.

LIMA, Morgana Gama de. O metacinema como estratégia de re-escritura pós-colonial: uma leitura de O enredo de Aristóteles. In: ESTEVES, Ana Camila; OLIVEIRA, Jusciele (org.). Cinemas africanos contemporâneos: abordagens críticas. São Paulo: Sesc, 2020. p. 171-185.

MAIA, Guilherme. Canção popular e cinema: memórias, identidades e um falso problema. In: AGUILLERA, Yanet. Mordaças no cinema da América Latina. São Paulo: Discurso Editorial, 2020. p. 149-175.

MENDÍVIL, Julio. The song remains the same? Sobre las biografías sociales y personalizadas de las canciones. El oído Pensante, v. 1, n. 2, 2013, p. 23-49. Disponível em: http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/oidopensante/article/view/7075. Acesso em: 04 mar. 2022.

ORTEGA, Maria L. Los paisajes afectivos de la canción en el cine español del siglo XXI. In: PIEDRAS, Pablo; DUFAYS, Sophie. Conozco la canción: melodías populares en los cines posclásicos de América Latina y Europa. Buenos Aires: Libraría, 2018. p. 65-88.

PIEDRAS, Pablo; DUFAYS, Sophie. Conozco la canción: melodías populares en los cines posclásicos de América Latina y Europa. Buenos Aires: Libraría, 2018.

POWRIE, Phil; STILWELL, Robynn. Changing tunes: the use of pre-existing music in film. Londres: Routledge, 2006.

PREDOTA, George. The story behind Plaisir d’Amour, Interlude, 11 jun. 2018. Disponível em: https://interlude.hk/pleasure-love/. Acesso em: 04 mar. 2022.

SABANEEV, Leonid. Music for the films. Londres: Sir isaac Pitman & Sons, 1935.

SANOGO, Aboubakar. Soleil Ô: “I Bring You Greetings from Africa”, The Criterion Collection (Essays), 01 out. 2020. Disponível em: https://www.criterion.com/current/posts/7120-soleil-i-bring-you-greetings-from-africa. Acesso em: 04 mar. 2022.

SIGNATÉ, Ibrahima. Med Hondo, un cinéaste rebelle. Paris: Présence Africaine, 1994.

SMITH, Jeff. The sounds of commerce: marketing popular film music. Nova Iorque: Columbia University Press, 1998.

SOLEIL Ô. Direção: Med Hondo. Música: Georges Anderson; Produção: Grey Films, Shango Films. Idioma: Francês e Árabe. Distribuição: New Yorker Films. Ficção, 98 min, P&B, 1 DVD, 1967.

THIERS-THIAM, Valérie. A chacun son griot: le mythe du griot-narrateur dans la littérature et le cinéma d’Afrique de l’Ouest. Paris: L’Harmattan, 2005.

THIONG’O, NgugiWa. A descolonização da mente é um pré-requisito para a prática criativa do cinema africano? In: MELEIRO, Alessandra (org.). Cinema no mundo: indústria, política e mercado: África. São Paulo: Escrituras, 2007. p. 25-34.

TOUKI Bouki. Direção: Djibril Diop Mambéty. Música: AminataFall, Josephine Baker e Mado Robin. Produção: Cinegrit e Studio Kankourama. Som: El Hadj M’Bow. Ficção: 85 min., Color, 1973.

UKADIKE, Nwachukwu F. Black African cinema. Berkeley: University of California Press, 1994.

VALENTE, Heloísa. Os cantos da voz: entre o ruído e o silêncio. São Paulo: Annablume, 1999.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Como Citar

Maia, G., & Gama de Lima, M. (2022). Ecos pós-coloniais em dois filmes africanos: : as canções de Soleil Ô e Touki Bouki. Revista Eco-Pós, 25(1), 16–38. https://doi.org/10.29146/ecops.v25i1.27844