Inventários de Objetos Impossíveis

Cadeias de Apropriação e Documentos de Posse em House Of Leaves

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29146/ecops.v25i2.27757

Palavras-chave:

House of Leaves, Apropriação, Escrita, Inventário

Resumo

O artigo discute o romance House of Leaves, de Mark Z. Danielewski e a noção de apropriação por ela movimentada. Ao observar as distintas cadeias de roubo e desapropriação presentes na trama do livro, consideramos que ele propõe uma dramatização dos processos de tomada de posse no ato de escrever. Para estudá-la, constituímos um percurso de leitura a partir do romance, em conjunção à noção de apropriação elaborada na filosofia de Jacques Derrida. A observação do conceito próprio a House of Leaves parte desse entrecruzamento, a partir de pesquisa bibliográfica, para realizar uma investigação dos níveis de apropriação presentes na trama do romance, bem como os diferentes modos de registro destas. Concluímos que todo gesto apropriacionista é uma espécie de inventário de posses (pregressas, presentes e futuras), e procedemos a uma descrição e a uma problematização dos inventários presentes em House of Leaves.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Felipe Silveira de Abreu, UFRGS

Professor Substituto na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutor e mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Membro do Grupo de Pesquisa em Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC). Pesquisa temas como a desconstrução e a escritura, atuando nos campos da Teoria da Comunicação, da Epistemologia da Comunicação e da Literatura.

André Corrêa da Silva de Araujo, APPH

Professor e pesquisador na Associação de Práticas e Pesquisas em Humanidades (APPH). Tem formação em Comunicação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com foco nos estudos de teoria e filosofia da comunicação. Desenvolve pesquisas no campo da literatura e pensamento especulativo contemporâneo, em especial ficção científica e horror latino-americano. Também desenvolve pesquisas no entrecruzamento entre a teoria da mídia, a catástrofe climática e o Antropoceno. É membro do Grupo de Pesquisa em Ecologia das Práticas (GPEP/APPH) e do Grupo de Pesquisa Semiótica e Culturas da Comunicação (GPESC/UFRGS).

Referências

BIRKIN, Jane. Archive, Photography and the Language of Administration. Amsterdã: Amsterdam University Press, 2020.

DANIELEWSKI, Mark Z. House of Leaves. Nova Iorque: Pantheon Books, 2000.

DERRIDA, Jacques. Memoirs of the Blind. Chicago: University of Chicago Press, 1993.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx: O Estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

DERRIDA, Jacques. O monolinguismo do outro ou a prótese de origem. Belo Horizonte: Chão da Feira, 2016.

GOLDSMITH, Kenneth; DWORKIN, Craig (Orgs.). Against expression: an anthology of conceptual writing. Illinois: Northwestern University Press, 2011.

HANSEN, Mark B. “The Digital Topography of Mark Z. Danielewski's House of Leaves”. Contemporary Literature, v. 45, 2004. p. 597-636.

HAYLES, Katherine. “Saving the Subject: Remediation in House of Leaves”. American Literature, v. 74, n. 4, 2002. p. 779-806.

MARGEL, Serge. Arqueologia do fantasma: técnica, cinema, etnografia, arquivo. Belo Horizonte: Relicário Edições, 2017.

PERLOFF, Marjorie. O gênio não original: poesia por outros meios no novo século. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

SAMOYAULT, Tiphaine. A intertextualidade. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2008.

SANTIAGO, Silviano. “As escrituras falsas são”. Revista 34 Letras. n. 5/6. Rio de Janeiro: Editora 34, set. 1989.

VILLA-FORTE, Leonardo. Escrever sem escrever: literatura e apropriação. Belo Horizonte: Relicário, 2019.

Downloads

Publicado

2022-10-31

Como Citar

Silveira de Abreu, L. F., & Corrêa da Silva de Araujo, A. (2022). Inventários de Objetos Impossíveis: Cadeias de Apropriação e Documentos de Posse em House Of Leaves. Revista Eco-Pós, 25(2), 313–336. https://doi.org/10.29146/ecops.v25i2.27757