A Resistência do Objeto: O Grito de Tia Hester

Autores

  • Fred Moten New York University (NYU)

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i1.27542

Resumo

Este texto é a introdução do livro In the Break: The Aesthetics of the Black Radical Tradition (2003), do poeta e filósofo Fred Moten. Partindo da “cena primária”, tirada da Narrativa da vida de Frederick Douglass (1845), em que, ainda criança, Douglass testemunha o açoitamento de sua Tia Hester, Moten aborda a possibilidade de resistência dos objetos, usa Marx para analisar o valor das mercadorias/pessoas escravizadas, e associa os gritos que respondem às chicotadas às potências disruptivas da performance preta que, como argumenta, ecoam nos gestos contemporâneos de artistas como Abbey Lincoln, Max Roach e James Brown.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fred Moten, New York University (NYU)

Poeta, filósofo e professor da Universidade de Nova York – Departamento de Estudos da Performance/Tisch School of Arts

Downloads

Publicado

2020-08-08

Como Citar

Moten, F. (2020). A Resistência do Objeto: O Grito de Tia Hester. Revista Eco-Pós, 23(1), 14–43. https://doi.org/10.29146/eco-pos.v23i1.27542