Autenticidade juvenil: consumo midiático, investimento afetivo e disputa simbólica no interior de uma comunidade de fãs.

Autores

  • Tiago José Lemos Monteiro

DOI:

https://doi.org/10.29146/eco-pos.v8i1.1094

Resumo

No contexto da emergência de uma suposta pós-Modernidade, em que os valores e os objetivos da Modernidade seriam questionados e postos em perspectiva,
identifica-se uma perda de centralidade da política na lógica da sociedade contemporânea, acompanhada por uma efervescência de novas formas sociais. Quando a economia e o indivíduo eram os eixos da estruturação social, cabia à política colocar esses eixos em movimento constante. As formas sociais teriam, então, atingido um ponto de saturação, da mesma forma que os relacionamentos interpessoais. O lugar anteriormente ocupado pela política seria, na contemporaneidade, substituído por um
fervilhamento estético que renega o passado, não se preocupa com a idéia de futuro ou progresso e valoriza a experiência presente, o momento. A estética, portanto,
estaria para a pós-Modernidade assim como a política para os tempos modernos (Maffesoli, 1987).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-04-05

Como Citar

Monteiro, T. J. L. (2009). Autenticidade juvenil: consumo midiático, investimento afetivo e disputa simbólica no interior de uma comunidade de fãs. Revista Eco-Pós, 8(1). https://doi.org/10.29146/eco-pos.v8i1.1094